PESQUISAR


BLOGS TEMÁTICOS


TIRA DA PRATA AS ESCÓRIAS...


Por Josenilson Félix



“Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor.”    Pv. 24:5

INTRODUÇÃO

Este versículo fala da transformação de um metal bruto em um belo e reluzente utensílio, usado principalmente no templo, visto que os vasos utilizados nas casas, nos tempos bíblicos, normalmente eram de barro; já os de prata e ouro eram mais comuns no templo, utilizados nos atos do culto de adoração a Deus.

Essa transformação não é simples, pois há um processo trabalhoso e árduo até se chegar a um vaso brilhante e útil. Esse processo fala da conversão, onde Deus trabalha a vida do homem para que este seja um objeto usado para adoração ao Seu santo nome, e em Sua casa: o templo, a igreja.

DESENVOLVIMENTO

A prata normalmente é encontrada em jazidas subterrâneas, então o artífice que trabalha com esse precioso metal precisa cavar com persistência para encontrá-lo.

Nós estávamos nesse estado quando o Senhor nos encontrou, enterrados nesse mundo, enterrado nos vícios, enterrados no pecado, mas o Senhor nos extraiu de lá com Suas fortes mãos.

A prata é encontrada de uma forma que tecnicamente chamamos de “hábito dendrítico”, isto significa: cheia de pontas, farpas, hastes, por vezes ferindo as mãos de quem a encontra.

Foi assim que o Senhor nos encontrou neste mundo, cheios de problemas, dificuldades, ferindo a Deus com nossos atos e palavras. Mas o Senhor trabalhou na nossa vida com amor e paciência.

O PRIMEIRO ESTÁGIO - A ÁGUA

Este nobre metal quando retirado do chão, vem cheio de torrões de terra. É quando o paciente fundidor usa água para retirar essas impurezas.

Essa lavagem, fala de uma operação de Deus para retirar as coisas desta terra, o pecado, da vida do homem.

Naamã que fora acometido pela lepra (que representa o pecado), recebe do profeta Eliseu o seguinte recado de Deus: Lava-te sete vezes no Rio Jordão. Após essa lavagem Naamã ficou curado de sua enfermidade e foi considerado limpo pela sociedade da época (II Re. 5:10).

Davi em um dos seus salmos diz: Lava-me completamente da minha iniquidade (Sl. 51:2).

Em Ef. 5:26-27 lemos: Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, para apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula.

Fomos lavados, purificados e hoje somos novas criaturas.

O SEGUNDO ESTÁGIO - O FOGO

Depois da água a prata vai ao fogo para que haja a separação de outros metais que vem misturado a sua estrutura, muitas vezes imperceptíveis a olho nu.

O mais comum é o chumbo, e essa separação é feita em um recipiente chamado crisol (Pv. 17.3).

Só o fogo do Espírito Santo tem poder para tirar do homem as coisas ruins que estão entranhadas no seu interior, e assim como fogo purifica a prata, o Espírito Santo purifica o interior do homem, o coração e a mente, tirando aquilo que não tem valor para Deus, aquilo é chumbo, que é peso, que puxa o homem para baixo.

O TERCEIRO ESTÁGIO - A MOLDAGEM

Após a fundição do metal há um detalhado processo de moldagem, até dar a forma desejada de acordo com a finalidade deste vaso.

Deus trabalha na vida do homem a fim de usá-lo em Suas mãos e em Sua casa, e assim como existem vários formatos e tamanhos, Deus usa pessoas diferentes, de forma diferente, cada um como Lhe apraz.

Somos moldados pelas mãos do Criador, é Ele quem dá a forma, Ele sabe a nossa utilidade em Sua obra, em Sua casa; essa escolha não é nossa, pois Ele tem a fôrma certa para cada um de nós, sabe a nossa capacidade, a nossa estrutura.

CONCLUSÃO

Jesus foi vendido por 30 moedas de prata . Por quê não foi outro metal?

A palavra Prata no original Hebraico é Kopher. Significa "Pálido como um homem que perdeu todo o seu Sangue"
Conhecedor deste processo, o escritor diz: “Tira da prata as escórias, e sairá vaso para o fundidor”.

Deus não faz do homem um vaso em Suas mãos se há escórias, se há pecado, se há impureza, então Ele trabalha na nossa vida fazendo essa transformação.

E como é maravilhoso ser um vaso de bênçãos nas mãos do Senhor, ser vaso cheio do Espírito Santo.

Diácono Josenilson Felix