PESQUISAR


BLOGS TEMÁTICOS


A VÓS É DADO CONHECER OS MISTÉRIOS DE DEUS

POR DANIEL SANTOS



"E ele disse: A vós vos é dado conhecer os mistérios do reino de Deus, mas aos outros por parábolas, para que vendo, não vejam, e ouvindo, não entendam." Lucas 8:10

Certa feita o grande historiador francês do século XX R. Grousset, disse: "O coração humano é mais profundo do que a sabedoria antiga". Com efeito, o homem, que os gregos tanto exaltaram, é para o cristão algo muito maior do que pensavam os gregos, mas numa dimensão diversa e por razões diversas: se Deus considerou que devia confiar aos homens a difusão de sua própria mensagem e se, até mesmo chegou a fazer-se homem para salvar o homem, então a "medida grega" do homem, mesmo tendo sido tão elevada, torna-se insuficiente e deve ser repensada a fundo. E, na grandiosa tentativa de construir essa nova "medida" do homem, nasceria o humanismo cristão.

Realmente! A doutrina da união hipostática nada mais é do que as duas medidas (De Deus, e do homem) amalgamadas em Cristo.
Quando aceitamos a vida que há em Jesus, temos livre acesso a sua Medida Eterna.

Repugnância as certas terminologias usadas por denominações é algo para se pensar. É natural para um leigo assustar-se com o que é relativamente "novo".
Por isso batemos sempre na mesma tecla: "cristão que não busca o conhecimento, é encontrado por tolos"

Para quem alega que o termo "Medida de Deus" e "medida do homem" são invenções de uma determinada denominação, releia a bíblia com o coração liberto, desprovido de quaisquer preconceitos, e você verá que Cristo é tido como O "Bom Mestre" devido as suas belíssimas aulas; lançando mão de todos os métodos compreensíveis ao homem comum; veja um exemplo na experiência de: Nicodemos sendo um mestre para os judeus (medida do homem), era um leigo para Cristo (Medida de Deus).
Quando defendemos essa tese, não estamos sendo denominacionalistas. Absolutamente!

Há duas formas de defender algo supostamente "novo"

>Há o hipócrita que defende porque seu líder manda...

>E tem o servo que no Espírito, piedosamente examina o texto sagrado.

"E ele disse: A vós vos é dado conhecer os mistérios do reino de Deus"

O Senhor não estava aqui dando margem para o exclusivismo denominacional, e sim ratificando que somente seus discípulos seriam os privilegiados com a Revelação de seus ensinamentos. Discípulos são os alunos que ouvem, aprendem e praticam.

Mistério pressupõe algo que não esteja explícito; a Revelação (Medida de Deus) é dada em particular(Corpo), e só entramos nessa dimensão levados pelo Espírito Santo: "O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós." João 14:17

"Mas aos outros por parábolas, para que vendo, não vejam, e ouvindo, não entendam"
Os outros que o Senhor se referia, era os pseudo-espirituais que havia em sua época; viam as maravilhas, porém não sabiam a fonte. Ouviam o brado, mas não conheciam o autor da voz.

A igreja fiel vê e ouve o sEu Noivo sem a necessidade de mediadores. Quanto aos termos usados pelas comunidades (evangélicas), desde que não fira os princípios cristocêntricos, são úteis para o nosso aprendizado.

Referências: G. Reale - D. Antiseri 
HISTORIA DA FILOSOFIA pág/24
Historia da filosofia : patristica e escolastica, v. 2 1 Giovanni Reale. Dario Antiseri ; [tradupio Ivo Storniolo]. - São Paulo : Paulus, 2003.