PESQUISAR


BLOGS TEMÁTICOS


ESCRITURAS

POR OBREIRO DANIEL SANTOS




"Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;" 2 Timóteo 3:16

Vasculhando os registros do século XVI; encontramos nas areias do tempo, justamente no período dos grandes reformadores,  duas figuras extremamente antagônicas: William Tyndale e Thomas Morus.
O áspero relacionamento que havia entre o gigante Tyndale com o herege Morus permanece vivo até os dias de hoje no cenário eclesiológico.

O embate se centralizou na relação da eclesiologia com a Escritura. Para Tyndale, somente a Escritura Sagrada tem a palavra final em matéria de fé e prática. Morus também aceitava além das Escrituras a Tradição e os ensinos do magistério eclesiástico.

Praticamente a tese de Morus nutria o seguinte equívoco: Cristo é o cabeça, a "igreja" é o pescoço que a leva para aonde quiser.

"Toda a Escritura é divinamente inspirada"
Se o Divino à inspirou, no limite da demência você compreende que a letra é inspirada. Sendo a letra inspirada, ela é útil.
"O Senhor Jesus nos revela os desígnios de Deus através da letra inspirada pelo Espírito Santo"


"E proveitosa para ensinar"
Uma das maiores deficiências que há no âmbito eclesiológico é a insistência em promover líderes neófitos; o resultado é sempre o mesmo: evangeliza-se 100, batiza-se 20, e perde-se 20 de outras remessas; sem contar com os nobres evangelistas que se realizam com seus eternos visitantes (catecúmenos). O ensino da palavra foi substituído pela defesa de correntes dogmáticas. No processo salvífico, a palavra é indispensável: "Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra," Efésios 5:26

"Para redarguir"
Fé, não é fideísmo; cuidado com as vãs sutilezas! "Antes, santificai ao SENHOR Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a (razão) da esperança que há em vós," 1 Pedro 3:15
O motivo da nossa fé pode ser questionado e respondido.

"Para corrigir"
Não podemos corrigir segundo nossa achologia; a cosmovisão ministerial oscila, e pode sofrer variações devido as circunstâncias vivenciais: "Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho;" Atos 20:29

"Para instruir em justiça"
A direção do Espírito Santo é justa!
Há um entendimento espúrio que tem tomado as mentes de certos indivíduos;  que Deus opera em meio a simplicidade, não resta dúvidas. Consciente que simplicidade e relaxo não são sinônimos.
A igreja apostólica numa posição humílima detinha o básico para a proclamação do Evangelho. Eram dotados de uma boa base bíblica (Lei - Profetas,) abstendo-se da forte influência helênica (conheciam de fato). O simples Estevão (diácono) dominava com propriedade a justiça pútrida dos libertinos; em seu erudito discurso salientou com excelência o preparo de Moisés para lidar com o Antigo Egito: "E Moisés foi instruído em toda a ciência dos egípcios; e era poderoso em suas palavras e obras." Atos 7:22

"Examinai tudo. Retende o bem." 1 Tessalonicenses 5:21


REFERÊNCIAS: Reforma na Inglaterra - Isaias Lobão Pereira Junior - pág/35